A história do Açafrão. O ouro das especiarias

A planta do crocus sativus, tríploide estéril de estilo filiforme e com bolbos sólidos, possui uma extensa trajetória ao longo dos anos e passagem esplêndida em diferentes culturas, o que faz da história do açafrão, além de sua amplitude, deixar-nos saber o seu alto valor, desde os tempos antigos, bem como descobrir que sempre foi de gosto requintado entre as pessoas de poder.

A história do Açafrão antes da era cristã

A Grécia antiga faz parte da história do açafrão, há testemunhos do seu cultivo e uso de 1500 a 1600 a.C. Durante o período conhecido como a Idade do Bronze, uma variedade mutante foi criada, como resultado de duas espécies diferentes de açafrão.

Da mesma forma, os faraós egípcios também a usavam e mesmo no período helenístico de Cleópatra, havia uma predileção pela especiaria aromática. O cultivo do açafrão na Pérsia atingiu o auge no século 20 aC.

Desse modo, Dario I, o Grande, como Alexandre, o Grande, praticamente prestava um culto especial a essa singular especiaria, ordenando estritamente sua semeadura e consumo, usando-a também em cosméticos e em diferentes peças de vestuário.

A partir daí esta especiaria viajou e expandiu-se através da China, Índia e Roma, e é durante a queda do Império Romano, quando a história do açafrão nos dá a primeira referência de sua chegada à Europa, especificamente à Península Ibérica.

A história do Açafrão e a sua comercialização

O comércio deste produto na Europa do século XVI alcançou níveis incalculáveis por razões médicas. A sua importação de terras do Mediterrâneo, deu origem a atos ilegais que provocaram eventos importantes, como a Guerra do Saffron.

A partir deste estágio, temos notícias sobre o costume de adulterar e usar para contrabando. Já no século XVI, o centro local para o cultivo e comercialização do açafrão é formalmente estabelecido no leste da Inglaterra, chegando mais tarde à América, que entra na história do açafrão levada pela mão por religiosos europeus.

A sua chegada através do Atlântico, é devido à imigração da Igreja Schwenkfelder, que trouxe os primeiros bulbos para o plantio, conseguindo assim o nascimento do açafrão americano. Por causa da alta procura e da compra desta especiaria requintada, pelas colónias espanholas instaladas em todo o Caribe, o açafrão passou a ser cotado a preços paralelos ao ouro.

Este mercado foi muito próspero, no entanto, devido à guerra que surgiu em 1812, uma paralisia e queda foram gerados, uma vez que era impossível comercializá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *